Conceitos e Técnicas para formação de um Perfumista

Carnaval Perfumado
5 de fevereiro de 2016
Inspirações na perfumaria – Perfumista Edison Fujita, Vollmens Fragrances
18 de fevereiro de 2016

Conceitos e Técnicas para formação de um Perfumista

Como qualquer arte criativa, a arte da perfumaria depende de experiência, técnica e inspiração. Experiência e técnica só são adquiridas, por intermédio de uma grande dose de paciência, estudo e “trabalho duro”, onde são freqüentemente associadas por decepção e frustração. Mas para os talentosos e entusiasmados iniciantes, os obstáculos são compensados pelo sentido de descoberta e emoção que envolve o trabalho.

Adentrando a história, no passado, os detalhes de formulação de fragrâncias eram segredos ciumentamente guardados de perfumistas que passaram a vida inteira para adquiri-los. Um iniciante perfumista era capaz de esperar muitos meses trabalhando sozinho, com quase nenhuma ajuda, tentando recriar um dos clássicos do passado, ao fazer centenas de experiências simples com um pequeno numero de matérias-primas tradicionais, de modo a estabelecer a melhor relação entre elas. Essa dedicação era de valor inestimável na formação e no desempenho futuro do perfumista.

Os surgimentos de técnicas modernas foram imprescindíveis para se encurtar esse caminho. Métodos modernizados de treinamento fizeram com que o aluno progredisse rapidamente em relação a como era no passado.

Uma revolução semelhante tem ocorrido no campo da música, onde os métodos modernos de ensino resultaram em uma geração de jovens músicos, cuja técnica e capacidade interpretativa é extremamente satisfatória”. (CALKIN E JELLINEK, 1994).

Um belo exemplo é dado pelos mestres da perfumaria fina, na criação do novo Chanel   Nº5 – Eau Première substituto do Chanel Nº5 ícone de grande valor olfativo e da sexualidade feminina. Criado em 1921 por Ernest Beaux a pedido da estilista Coco Chanel e tendo posteriormente como marketing à diva Marylin Monroe, o novo representante substitui diversas moléculas naturais por moléculas sintéticas mantendo a sua característica olfativa, a diminuição das moléculas naturais não altera a sua qualidade. Constitui-se ainda em um perfume atual com notas similares ao antigo que não foge da característica olfativa do Chanel Nº5.

Para o desenvolvimento de uma fragrância faz-se um teste olfativo para tomar uma decisão olfativa que atende à uma solicitação de mercado.

Ensaios junto à aparelhos como o espectro de massa são necessários para a obtenção de dados que direcione a formação da nova fragrância, vários testes são executados com as diversas matérias-primas e suas respectivas quantidades compostas em uma fórmula, ainda a nível laboratorial. O processo é empírico e repetitivo até a sua conclusão. A partir deste momento, a nova fragrância está pronta para entrar em linha de produção.

O objetivo do trabalho da Perfumista foi mostrar a aplicação dos conceitos e técnicas para o desenvolvimento de uma carreira na área da perfumaria. Explicar a finalidade dos métodos olfativos e a modernização das tecnologias por equipamentos, avaliando também o tempo e a experiência necessária e por fim evidenciar as diferenças e as qualidades de técnicas, com o intuito de esclarecer dúvidas e equívocos aparentes.

A versão completa do trabalho será divulgada futuramente como artigo científico e estará disponível no site da Vollmens e em revistas do setor de perfumaria e cosméticos.

 

Os comentários estão encerrados.